oficinas de poesia

 

shows e oficinas

 

SARAULA - a palestra que é um Espetáculo

A Saraula é um trabalho didático, pedagógico, uma palestra/show, onde faço uma apresentação oral e musical colocando as diferenças e aproximações entre poema e canção, poesia e letra de música. De uma forma divertida, ilustrada com poemas e canções, abordo o caminho que a poesia percorreu ao longo do tempo, visto que nas suas origens era cantada ou acompanhada por algum instrumento - a lira na antiguidade ou o alaúde na idade média. 


Isso tudo de forma comunicativa e em uma linguagem acessível para jovens das várias faixas etárias, da 2ª etapa do Ensino Fundamental ao Médio. Explico como a palavra se desdobra dentro destes suportes, seja do papel (no livro) ou da música (na canção).

Utilizando poemas e canções próprias ou dos mestres da poesia como Drummond, Bandeira, Oswald, etc. e da música de Gilberto Gil, Milton Nascimento, Arnaldo Antunes... o trabalho pode estender-se de 45 min à hora e meia, dependendo da necessidade e do espaço.

O objetivo é encantar, seduzir, informar e estimular o entendimento, o gosto pelo jogo lúdico do poema e da letra de música na canção. A
Saraula é isso, um espetáculo de deleite e aprendizagem.

exigências técnicas:


- sonorização para voz (pedestal ou fone auricular sem fio) e violão (direct-box).
- quadro negro e giz ou quadro branco e caneta atômica.




A Oficina Desmiolada de Alexandre Brito


A oficina desmiolada do Alexandre Brito é uma experiência criativa dos alunos com o mundo das palavras. A partir de estímulos proporcionados pelo autor, o grupo passa a exercitar as palavras de formas usuais e inusuais, montando, desmontando e remontando os vocábulos de forma inventiva, produzindo descobertas surpreendentes e uma nova relação entre os alunos, os significantes e os significados. Mais informações com o autor.





Oficina do Uakti  - para alunos curiosos e inventivos


Uakti inspirou um trabalho de fabricação de instrumentos e de consciência musical.
A Oficina do Uakti tem como objetivo a construção de instrumentos simples a partir de materiais naturais e/ou recicláveis, para produzir uma experiência musical em grupo.




Poesia em Sala de Aula - curso para professores


Justificativa:

Talvez o gênero literário mais sedutor de todos seja o da POESIA, porém, exatamente o que o torna fascinante, o transforma também num objeto tão ambíguo quanto enigmático, criando imensas dificuldades de ser tratado adequadamente dentro de sala de aula.

Quando esta dificuldade não é superada, o poder de encantamento e fabulação de um poema não alcança aquele ponto de ebulição capaz de imantar o leitor e levá-lo à descoberta do admirável mundo novo da linguagem, à fruição estética, às águas surpreendentes da invenção dos sentidos.

Quando surge a linguística, com Saussure, a consciência dos pormenores, desdobramentos e nuances envolvidos na linguagem humana se desenvolve enormemente, permitindo-nos não apenas conhecer a sua morfologia, os seus elementos constitutivos, mas sua dinâmica e fisiologia. Alguns linguistas se interessaram especialmente pelos fenômenos nas artes e na poética.

Lidar com o gênero POESIA em sala de aula é desejável e perfeitamente possível desde que algumas noções básicas de linguística e de teoria da comunicação sejam apreendidas. Esta experiência não raras vezes é motivo de grandes alegrias e descobertas com alunos e alunas.


Objetivo:

A oficina tem como objetivo apresentar ferramentas conceituais para um melhor entendimento desta escritura que chamamos “poesia”, e, na mesma medida, exercitar tais instrumentos na prática a partir da análise de poemas representativos das tradições literárias brasileira e universal.

As atividades práticas visam a compreensão e apreensão plena destes conceitos linguísticos com vistas à sua aplicação em sala de aula.

Programa:

- Função poética da linguagem
- Os três pés da palavra
- Forma, forma e conteúdo
- Os sentidos do poético
- Exercícios de leitura:

Lewis Carroll, José Paulo Paes, Alice Ruiz, Paulo Leminski, Matsuo Bashô, Roseana Murray, Edgar Allan Poe, Cecília Meireles, Fernando Pessoa, Mario, Quintana, Manoel Bandeira, Willian Blake, Elias José, Augusto de Campos, Sérgio Caparelli, entre outros.

Bibliografia recomendada:

- Linguística e Comunicação, Roman Jakobson (Editora Cultrix)
- O ABC da Literatura, Erza Pound (Editora Cultrix)
- Poesia Fora da Estante - 1 e 2 Coord.: Vera Aguiar (Editora Projeto)


A Oficina Mágica do Circo Mágico


O Circo e seus protagonistas, por atravessar dezenas de séculos e culturas, se constituem numa espécie de arquétipo universal da humanidade. Debruçar-se sobre esse admirável acervo lúdico e imaterial, apropriando-se dele como fonte inspiradora para a produção de textos e imagens, é enriquecer o imaginário e o vocabulário das crianças, valorizando esta arte tão popular quanto milenar.

Pra começo de conversa:


A criação ou construção de um texto esteticamente elaborado representa a superação da função meramente utilitária da linguagem. Foi essa superação que eternizou culturas inteiras, predispondo-as a servirem de base para outras que se constituíram a partir delas. Por incrível que pareça, o exercício dessa linguagem digamos assim “artística” ou “poética”, é mais acessível aos mortais do que se possa imaginar.


A qualquer pessoa, mas em particular à criança, por ainda não articular-se dentro da totalidade dos condicionamentos e padrões naturais de sua cultura, é perfeitamente possível e desejável o desenvolvimento desta capacidade cognitiva criativa e transfiguradora.  

Até porque:


A experiência da construção de um poema, partindo do imaginário pessoal, ou pela simples interação com textos de autores consagrados, tem como conseqüência aprimoramento das faculdades criativas do intelecto. O poema, espaço privilegiado onde idéia, memória, emoção e vocabulário, combinam-se em altíssimo grau de cognição, é o gênero ideal para este exercício.


A produção de um texto criativo e sua transposição para uma outra linguagem (desenho, pintura, colagem, fantoche, fotografia), ativa capacidades e estimula potencialidades da maior importância.  A liberdade de interpretação e formulação de uma leitura particular e sua expressão por meio de recursos plásticos, leva ao surgimento de estruturas internas essenciais para a consecução de um desenvolvimento saudável.


Este exercício de construção de texto e de criação plástica, tendo como base um tema específico, ultima-se concretamente na elaboração de um “objeto de arte”, o livro.

 
Estrutura da oficina:


1ª etapa

- Produção de texto

Compreende a criação de poemas, tendo como base a temática do circo: os personagens, os números, os hábitos, bem como a memória e experiência de cada um sobre o assunto.

 

2ª etapa

- Produção de imagem

Compreende a criação de ilustrações para os textos desenvolvidos na etapa anterior do trabalho, tendo como referência o imaginário circense e os poemas produzidos.

 

3ª etapa

- Produção do livro

Compreende a confecção e encadernação, de um ou mais livros, a partir de materiais alternativos ou reciclados, reunindo os poemas e as ilustrações criadas nas etapas anteriores.

 

Metodologia:


- Na produção dos poemas

Estímulo à criação de texto poético partindo da rememoração de vivências, de histórias ouvidas, da leitura de alguns poemas e contos breves, e da audição de canções que versam sobre o tema circense. Cada participante escreverá livremente o seu poema.


- Na produção das ilustrações

Os poemas e as memórias são o ponto de partida para desenhos feitos a lápis em papel, que serão colorizados. Cada participante fará uma ilustração ou mais para o poema de sua escolha.


- Na confecção do livro

Com os poemas e as ilustrações, serão então definidos ordem, sumário, miolo e feitura da capa. A encadernação conclui esta última etapa da confecção do livro.


Observação:

Haverá adequação da oficina à faixa etária e grau de escolaridade.


 


 voo de borboleta
do mundo das coisas
pro mundo das letras
Alexandre Brito